O que é a dieta paleolítica?

Complementar a genética corporal é a chave para a dieta paleolítica.

A dieta paleolítica, também chamada de dieta neandertal ou dieta do homem das cavernas, é uma forma de se alimentar baseada nos tipos de alimentos disponíveis para os humanos pré-históricos, da Era Paleolítica. Os proponentes da dieta paleolítica acreditam que ela é a forma mais saudável com que uma pessoa pode consumir alimentos, pois o corpo humano já se adaptou a esses alimentos. Algumas pessoas acreditam que ela é uma dieta saudável, pois ela funciona em conjunto com a genética para ajudar a manter o corpo magro, forte e energético. As pessoas que seguem essa dieta acreditam que alimentos refinados, gorduras trans e açúcares encontrados em dietas modernas são responsáveis por muitos dos problemas de saúde que as pessoas possuem hoje em dia.

O maior benefício da dieta paleolítica no mundo moderno é ajudar a impedir a formação de bases de diferentes doenças degenerativas e comórbidas, como obesidade, câncer, diabetes, doenças cardíacas, Parkinson, Alzheimer e outras condições, como depressão e infertilidade. Outras pessoas seguem a dieta para perder peso ou manter um peso saudável. Os benefícios da dieta também incluem o aumento dos lipídeos sanguíneos e diminuição da dor em algumas doenças autoimunes.

Para criar uma dieta paleolítica, deve-se começar com uma ênfase nas proteínas magras, como carne vermelha, aves, porco, ovos, carnes de órgãos, peixes e mariscos. A dieta também dá ênfase a quantidades moderadas de frutas e vegetais, em conjunto com gorduras saudáveis como sementes, nozes, azeite de oliva e abacates.

Alguns alimentos a ser evitados são laticínios, grãos e produtos feitos com grãos, feijões e legumes, óleos com alta concentração de ômega-6 e sais ionizados. Adoçantes naturais como xarope de bordo e mel são permitidos, enquanto outros tipos são proibidos.