Como Voltar às Atividades Quando Você Tem Fascite Plantar

Por Jake Boly



Neste artigo:


A fascite plantar pode ser terrivelmente dolorosa e debilitante às vezes, especialmente quando não recebe a atenção que precisa para melhorar. Se você ja teve fascite plantar, sabe exatamente como é a sensação dolorida que vem junto com essa queixa ortopédica frustrante. Isso ocorre ao andar, fazer exercícios e ao fazer sua atividades diárias.


Uma das partes mais difíceis de lidar com a fascite plantar é que o tempo necessário para você se sentir melhor pode variar muito. Por exemplo, não existe uma solução definitiva para erradicar este problema, especialmente quando ele parece severo e que não vai acabar nunca. Porém, existem muitas maneiras de limitar a severidade da fascite plantar e potencialmente reduzir a duração do impacto que ela tem sobre o seu corpo.


Neste artigo, abordaremos o que é a fascite plantar, além de alguns exercícios, equipamentos de apoio e suplementos que podem ajudar com este problema.


O Que é a Fascite Plantar?

Antes de nos aprofundarmos no tratamento da fascite plantar, vamos discutir o que ela é e suas causas.


Plantar significa relativo à sola do pé, e fascia é um tecido conjuntivo fino que recobre todo o corpo. A fascite plantar frequentemente é descrita como uma sensação dolorosa no calcanhar e no arco dos pés que costuma ser mais prevalente de manhã A área exata do desconforto e dor, bem como sua severidade, variam de pessoa para pessoa.


A fascite plantar pode apresentar uma ampla gama de severidade de sintomas, o que torna difícil diagnosticá-la de maneira precisa para cada pessoa. Esta dor é causada quando a grossa fascia plantar que cobre a parte de baixo do pé (desde o calcanhar até os dedos) torna-se irritada e inflamada. Falando de maneira geral, a fascite plantar é resultado de uso incorreto ou excessivo desta estrutura, e pode ter origem em outras áreas do corpo diferentes do pé.


A fascia plantar é feita para fornecer suporte ao pé e é reativa por natureza, então quando está "estressada" ou tensa pode ter propensão a causar problemas como dor e irritação.


Tradicionalmente, achava-se que a fascia era de natureza simples, sem neurônios ou outras funções biológicas proprioceptivas. Porém, o nosso entendimento sobre a fascia continua a evoluir. Em uma revisão de 2012, pesquisadores avaliaram diversos estudos que analisaram e classificaram a fascia, e concluiram que este tecido conjuntivo fino apresenta mais funções do que se imagina.


Duas das maiores funções da fascia, e duas que são relevantes para a fascite plantar, incluem a estabilidade e a atividade proprioceptiva. A propriocepção é nossa habilidade de movimento através do espaço e tempo com consciência e controle do corpo. Quando você considera o que a fascia faz no corpo como um todo, pode ser mais fácil entender porque a fascite plantar causa problemas. A camada espessa da fascia plantar nos pés é projetada para apoiar o arco do pé. Quando esta função normal não está sendo respeitada ou atendida, a fascia do pé pode reagir e se tornar dolorosa.


Além de a fascia não receber a atenção que merece, sendo um tecido conjuntivo complexo, a fascite plantar também é mal compreendida. A fascite plantar é descrita somente como um período de inflamação aguda, porém, as pesquisas começam a mostrar que também podem ocorrer processos de degeneração na fascia plantar.


Isso não necessariamente muda o tratamento da fascite plantar, mas oferece ideias a respeito da prevenção de episódios futuros de dor e da compreensão a respeito deste problema ortopédico.


Por exemplo, a degeneração do tecido conjuntivo pode ser causada por múltiplos fatores, e se a fascia plantar estiver sendo usada incorretamente, estas fibras conectivas podem ficar mais propensas a problemas que vão além de crises agudas de dor. Por isso é importante focar na prevenção de problemas a longo prazo ao tratar esta condição.


Como Tratar a Fascite Plantar

Uma coisa boa (mas às vezes frustrante) sobre a fascite plantar é que existem múltiplas maneiras de tratar este problema, mas elas necessitam de um trabalho consistente. Simplesmente tomar um antinflamatório pode funcionar no momento da dor, porém não é sustentável quando o uso incorreto ou excessivo da fascia são problemas constantes.


A verdade é que a fascite plantar só pode ser realmente contornada quando diversas providências são tomadas de maneira contínua e diária. Abaixo, descrevemos quatro modos de você ser proativo em relação à fascite plantar.


1. Alongamento dos Pés e Panturrilhas

Uma maneira fácil de limitar o desconforto da fascite plantar é alongar as panturrilhas e a sola do pé. Isso pode fornecer alívio, já que tem potencial de reduzir a tensão que pode estar causando uma reatividade ruim na fascia plantar.


Como Fazer um Alongamento de Panturrilha Sentado

Um alongamento fácil que todos podem fazer é o alongamento de panturrilha sentado. Sente-se e estenda a perna afetada enquanto traz a outra para um ângulo de <90 graus. Pegue uma bandana de exercícios ou uma toalha e coloque ao redor da esfera do pé estendido. Puxe o pé em direção a você, aumentando o alongamento gradualmente e respire profundamente enquanto faz isso.


Faça esse alongamento ao acordar, no meio do dia e antes de deitar. Isso também pode ser usado como uma etapa proativa quando você começar a sentir que a fascite plantar vai voltar.


2. Massagem

Após o alongamento da fascia irritada, uma automassagem pode ser a próxima etapa, além de uma ferramenta poderosa. Quando a fascia está reativa pode se beneficiar muito de uma massagem leve, e isso é relativamente fácil de fazer.


Como fazer uma automassagem

Sente-se em uma posição similar à do alongamento, porém o pé dobrado será aquele que apresenta fascite plantar. Pressione levemente seu dedão contra o arco do pé e na área que o calcanhar encontra o arco.


Um creme hidratante para os pés pode ser útil ao fazer este processo, pois permitirá que os dedos se movam perfeitamente, e enquanto você está massageando os pés, porque não hidratá-los também? É facil fazer isso, e resolve dois problemas de uma vez só.


3. Óleo de peixe (ômega 3)

Não existe um único suplemento que tenha impacto direto e imediato sobre a fascite plantar, mas alguns suplementos podem ajudar com a dor e irritação a longo prazo. Um dos suplementos que podem apresentar benefícios para a fascite plantar é um ômega 3 de alta qualidade.


Já foi sugerido que o ômega 3 apresenta potencial de diminuir a inflamação no corpo, o que pode indiretamete ajudar a limitar a severidade da fascite plantar, quando tomado em paralelo a outras medidas proativas. Ao tomar um ômega-3, tenha como meta consumir entre 250 e 500mg de DHA e EPA combinados. 


4. Curcumina

Outro suplemento que pode ter um impacto positivo indireto na fascite plantar é a curcumina, um composto altamente biodisponível encontrado em suplementos como o açafrão. No corpo, a curcumina apresenta múltiplos efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Isso o torna uma ótima opção de suplementação diária, quando diminuir a inflamação geral é um objetivo constante.


Seja Proativo 

A fascite plantar pode ser terrivelmente frustrante às vezes, mas é algo que pode ser controlado com etapas proativas e conscientes. Uma das melhores atitudes que alguém pode tomar para limitar a fascite plantar é ser objetivo com os movimentos, hábitos diários, e cuidados com esta condição.


Se há um problema de uso incorreto ou excessivo causando a fascite plantar, provavelmente existem outros problemas ocorrendo no corpo, e avaliar áreas como os joelhos e quadris e seus movimentos pode ser um ótimo passo proativo.


Referências:

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3430451/
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3951039/
  3. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21784145
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5664031/?rcode=JUN4330